Acesse também:

Facebook Twitter Orkut

Hoje é 25 de Outubro de 2014 - 03:31h

Cadernos
Rodeios
voltar

Locutores de rodeio revelam gafes cometidas na arena

Na arena, o profissional sabe que qualquer deslize no verbo se transforma em motivo de piada ou até mesmo de reclamação.

Imagem: Andre Silva/Divulgação (retirada de http://esportes.terra.com.br/rodeio/noticias/0,,OI6146053-EI20339,00-Locutores+de+rodeio+revelam+gafes+cometidas+na+arena.html)

Imagem: Andre Silva/Divulgação (retirada de http://esportes.terra.com.br/rodeio/noticias/0,,OI6146053-EI20339,00-Locutores+de+rodeio+revelam+gafes+cometidas+na+arena.html)

Quando narra para mais de 10 mil pessoas, o locutor de rodeio Fábbio Pereira, de Guapiaçu (SP), mede as palavras. Não à toa. Na arena, o profissional sabe que qualquer deslize no verbo se transforma em motivo de piada ou até mesmo de reclamação. Mas errar é humano e, vez ou outra, uma gafe escapa. "Já troquei o nome da pessoa. Chamei um homem com o nome de mulher", conta Pereira, locutor há 14 anos. "Noutra, troquei o nome da cidade", revela. A saída para tamanha inconveniência? O bom e velho bom-humor.

Trocar o nome da cidade, aliás, é uma gafe recorrente entre os locutores. Segundo Adriano Duarte, narrador oficial da Festa do Peão de Boiadeiro de Barretos (BR), o intervalo entre um rodeio e outro é curto e, às vezes, o profissional ainda está com o pensamento no evento anterior. "Uma vez, entrei na arena da cidade de Tarumã (SP) e falei bem forte no microfone: 'Boa noite, Maracai!'. Era o nome da cidade vizinha onde havia trabalhado uma semana antes", conta Duarte, há 20 anos na profissão.

Almir Cambra, outro forte nome nas locuções em rodeio, também já cometeu seus erros. De acordo com o narrador, a confusão começou com a leitura do roteiro de apresentação da festa. "O roteiro dizia que o hino nacional era com o Zezé". Cambra imaginou que o hino seria interpretado por um morador da cidade chamado Zezé. Pegou fôlego e soltou no microfone o nome do cidadão. "De repente, apareceu no telão o Zezé Di Camargo cantando", diz. "Não sei se o povo percebeu o erro. Eu morri de vergonha".

Quem também já passou por uma situação embaraçante foi Rafael Vilella. Em 2008, no rodeio de Pindamonhangaba (SP), o locutor tinha de anunciar o vencedor da etapa e chamar pelo prefeito da cidade. "Peguei o microfone e na hora de convidar o prefeito para entrar na arena, chamei pelo nome do vice-prefeito. Ficou uma situação constrangedora. Ele veio até mim falando pelo canto da boca que eu tinha chamado o nome errado". Para complicar ainda mais a situação de Vilella, a gafe foi na sua cidade natal.

Fonte: Terra

Locutores de rodeio revelam gafes cometidas na arena

12/09/2012

Quando narra para mais de 10 mil pessoas, o locutor de rodeio Fábbio Pereira, de Guapiaçu (SP), mede as palavras. Não à toa. Na arena, o profissional sabe que qualquer deslize no verbo se transforma em motivo de piada ou até mesmo de reclamação. Mas errar é humano e, vez ou outra, uma gafe escapa. "Já troquei o nome da pessoa. Chamei um homem com o nome de mulher", conta Pereira, locutor há 14 anos. "Noutra, troquei o nome da cidade", revela. A saída para tamanha inconveniência? O bom e velho bom-humor.

Trocar o nome da cidade, aliás, é uma gafe recorrente entre os locutores. Segundo Adriano Duarte, narrador oficial da Festa do Peão de Boiadeiro de Barretos (BR), o intervalo entre um rodeio e outro é curto e, às vezes, o profissional ainda está com o pensamento no evento anterior. "Uma vez, entrei na arena da cidade de Tarumã (SP) e falei bem forte no microfone: 'Boa noite, Maracai!'. Era o nome da cidade vizinha onde havia trabalhado uma semana antes", conta Duarte, há 20 anos na profissão.

Almir Cambra, outro forte nome nas locuções em rodeio, também já cometeu seus erros. De acordo com o narrador, a confusão começou com a leitura do roteiro de apresentação da festa. "O roteiro dizia que o hino nacional era com o Zezé". Cambra imaginou que o hino seria interpretado por um morador da cidade chamado Zezé. Pegou fôlego e soltou no microfone o nome do cidadão. "De repente, apareceu no telão o Zezé Di Camargo cantando", diz. "Não sei se o povo percebeu o erro. Eu morri de vergonha".

Quem também já passou por uma situação embaraçante foi Rafael Vilella. Em 2008, no rodeio de Pindamonhangaba (SP), o locutor tinha de anunciar o vencedor da etapa e chamar pelo prefeito da cidade. "Peguei o microfone e na hora de convidar o prefeito para entrar na arena, chamei pelo nome do vice-prefeito. Ficou uma situação constrangedora. Ele veio até mim falando pelo canto da boca que eu tinha chamado o nome errado". Para complicar ainda mais a situação de Vilella, a gafe foi na sua cidade natal.

Imagem: Andre Silva/Divulgação (retirada de http://esportes.terra.com.br/rodeio/noticias/0,,OI6146053-EI20339,00-Locutores+de+rodeio+revelam+gafes+cometidas+na+arena.html)

Jornal do Rodeio

Acesse também:

Facebook Orkut Twitter