Acesse também:

Facebook Twitter Orkut

Hoje é 26 de Setembro de 2018 - 12:35h

Cadernos
Rodeios
voltar

O fenômeno dos Três Tambores no Brasil!

Saiba tudo sobre esta modalidade

Imagem retirada de http://www.violashow.com.br/noticias/esportes/2018/01/19/o-fenomeno-dos-tres-tambores-no-brasil.html#.WmhqOnxG3IU, com

Imagem retirada de http://www.violashow.com.br/noticias/esportes/2018/01/19/o-fenomeno-dos-tres-tambores-no-brasil.html#.WmhqOnxG3IU, com

O gosto pelo mundo dos cavalos e o talento para desempenhar a função de treiná-los para as mais variadas modalidades equestres - com maestria, diga-se de passagem -, parecem estar no sangue da família Pereira da Silva. Afinal, o atual fenômeno dos Três Tambores, Sidnei Pereira da Silva Junior foi influenciado pelo pai, Sidnei Pereira da Silva, a dar os primeiros passos no meio até chegar ao patamar de ser considerado o cavaleiro número um do ranking da raça Quarto de Milha - ABQM em 2017.

Nascido em Andradina, interior de São Paulo, o cavaleiro conta que com quatro anos de idade já começou a frequentar suas primeiras provas equestres. Mas, na época, o seu gosto pendia mais para o lado das modalidades que envolviam boi. "O meu gosto, na verdade, sempre foi por laço e até montar em boi. Tinha paixão em ver as montarias".

Só que a família precisou mudar para Nova Odessa, outra cidade do interior de São Paulo, e naquela região a modalidade de laço ainda não era muito difundida na época e, por isso, o Sidnei pai passou a treinar cavalos para a modalidade de Três Tambores e, novamente, o filho seguiu os passos do patriarca da família, para a alegria dele e de todos que o veem hoje em dia somando 210 passadas na casa dos 16 segundos.

"Eu venho sempre mesmo correndo na casa dos 16 segundos, acredito bastante que isso seja uma característica minha, onde eu me especializei em tirar o que cada cavalo pode mostrar de melhor em cada passada. Isso que faz com que eles corram sempre bem abaixo do normal. Hoje temos o recorde de 16s3, uma marca histórica, e me vejo com chances de abaixar meu tempo. Estou sempre em busca de aperfeiçoamento, é a minha meta", frisa o treinador.

Na estante onde exibe os seus prêmios no esporte, Sidnei Junior soma vários troféus, estes conquistados nas principais provas da modalidade no país. "Graças a Deus tive grandes conquistas como Campeão Nacional, Congresso e Copa dos Campeões. Fui o melhor do ano por três anos, com recorde de pontos anual ultrapassando 1000 pontos, nunca alcançado por alguém até hoje. São títulos que mostram que estou no caminho certo e que tenho buscado o meu melhor, que fiz boas escolhas para que isso tenha acontecido". E ele foi líder do ranking geral e de Três Tambores 2017, com 1014,75 pontos, já compondo o ABQM Awards.

E foi sob a sela de grandes animais que o treinador conquistou tais resultados importantes nas pistas de Três Tambores do país, marcando 16 segundos com 50 animais diferentes, entre eles: Famoys by Corona, Milos Heart of Gold, Bela Famous ZD, Manuella Ta Fame ZD, Bestdial Doc PM, Brutusdash Horizonte, Devassa Creek Fame, Jorrero Tres Kid, entre inúmeros animais que vem se destacando.

E recentemente a égua mais cara do Brasil foi para a sela de Sidnei Junior, Callmeasissyagain, um novo desafio para o treinador já que além dele, a proprietária da égua irá montar. E como para Sidnei Junior o céu é o limite! Na 15ª Prova FNSL ele baixou o recorde da pista marcando 16s654, provando que tudo é possível com foco e determinação. O tempo anterior era de 16s717. Além disso, ele já é detentor do recorde da pista de Maringá, com a marca de 16s507, sendo este o 3º menor tempo do Brasil!

O grande diferencial de Sidnei Junior é sua busca incessante pelo aprendizado e o querer sempre hoje ser melhor que ontem. "Estou me capacitando dia a dia e a cada prova procuro melhorar, mesmo eu ganhando eu quero fazer mais, buscando sanar as falhas. Treinamento, dedicação e foco, acredito ser outro ponto que faz com que os resultados sejam os melhores. Eu quero tirar o máximo dos cavalos, não vejo pai e mãe e sim o indivíduo," ressalta Sidnei.

Todos esses resultados impressionantes em pista, são com certeza reflexo do talento de Sidnei Junior, mas tem algo a mais, o dom em trabalhar com cavalos, algo que não é explicado e sim vivenciado. "Acredito que posso passar para as pessoas a minhas técnicas e maneira que trabalho, mas eu acredito muito em Deus e assim é uma benção que ele me deu, de ter a sensibilidade de ver um cavalo e só da forma dele andar, a pessoa fazer um círculo consigo ver várias coisas naquele movimento. As pessoas conseguem se capacitar nisso, mas tem coisas que não é de mim. Acredito muito que tem coisas que Deus passou para mim, é um dom!", fala Sidnei.

Diante da ascensão continua da modalidade de Três Tambores, com cada vez mais criadores investindo na importação das melhores genéticas do mundo e oferecem premiações excelentes nas provas, Sidnei credita na popularização do esporte como um fator importante para que tais resultados tenham sido obtidos. "Minha opinião sobre a evolução foi que virou um esporte conhecido, antes era mais rodeio e não tinha tanta competição igual tem hoje e com isso os proprietários foram pegando gosto de cada vez mais investir no esporte e em genética".

Sabendo exatamente disso que Sidnei pretende continuar evoluindo junto com o esporte. Atualmente, ele atua como treinador no Haras ZD, que fica localizado em Marília/SP. Lá o seu foco total é em obter melhores resultados com uma equipe excelente do criatório e que é bem unida. "Eu planejo para meu futuro continuar treinando sempre os animais com o objetivo de mudanças e aprimorando, cada um dentro do seu limite, e alcançar vitórias e constâncias", finaliza.

Fonte: Viola Show, com informações de Cavalus

O fenômeno dos Três Tambores no Brasil!

24/01/2018

O gosto pelo mundo dos cavalos e o talento para desempenhar a função de treiná-los para as mais variadas modalidades equestres - com maestria, diga-se de passagem -, parecem estar no sangue da família Pereira da Silva. Afinal, o atual fenômeno dos Três Tambores, Sidnei Pereira da Silva Junior foi influenciado pelo pai, Sidnei Pereira da Silva, a dar os primeiros passos no meio até chegar ao patamar de ser considerado o cavaleiro número um do ranking da raça Quarto de Milha - ABQM em 2017.

Nascido em Andradina, interior de São Paulo, o cavaleiro conta que com quatro anos de idade já começou a frequentar suas primeiras provas equestres. Mas, na época, o seu gosto pendia mais para o lado das modalidades que envolviam boi. "O meu gosto, na verdade, sempre foi por laço e até montar em boi. Tinha paixão em ver as montarias".

Só que a família precisou mudar para Nova Odessa, outra cidade do interior de São Paulo, e naquela região a modalidade de laço ainda não era muito difundida na época e, por isso, o Sidnei pai passou a treinar cavalos para a modalidade de Três Tambores e, novamente, o filho seguiu os passos do patriarca da família, para a alegria dele e de todos que o veem hoje em dia somando 210 passadas na casa dos 16 segundos.

"Eu venho sempre mesmo correndo na casa dos 16 segundos, acredito bastante que isso seja uma característica minha, onde eu me especializei em tirar o que cada cavalo pode mostrar de melhor em cada passada. Isso que faz com que eles corram sempre bem abaixo do normal. Hoje temos o recorde de 16s3, uma marca histórica, e me vejo com chances de abaixar meu tempo. Estou sempre em busca de aperfeiçoamento, é a minha meta", frisa o treinador.

Na estante onde exibe os seus prêmios no esporte, Sidnei Junior soma vários troféus, estes conquistados nas principais provas da modalidade no país. "Graças a Deus tive grandes conquistas como Campeão Nacional, Congresso e Copa dos Campeões. Fui o melhor do ano por três anos, com recorde de pontos anual ultrapassando 1000 pontos, nunca alcançado por alguém até hoje. São títulos que mostram que estou no caminho certo e que tenho buscado o meu melhor, que fiz boas escolhas para que isso tenha acontecido". E ele foi líder do ranking geral e de Três Tambores 2017, com 1014,75 pontos, já compondo o ABQM Awards.

E foi sob a sela de grandes animais que o treinador conquistou tais resultados importantes nas pistas de Três Tambores do país, marcando 16 segundos com 50 animais diferentes, entre eles: Famoys by Corona, Milos Heart of Gold, Bela Famous ZD, Manuella Ta Fame ZD, Bestdial Doc PM, Brutusdash Horizonte, Devassa Creek Fame, Jorrero Tres Kid, entre inúmeros animais que vem se destacando.

E recentemente a égua mais cara do Brasil foi para a sela de Sidnei Junior, Callmeasissyagain, um novo desafio para o treinador já que além dele, a proprietária da égua irá montar. E como para Sidnei Junior o céu é o limite! Na 15ª Prova FNSL ele baixou o recorde da pista marcando 16s654, provando que tudo é possível com foco e determinação. O tempo anterior era de 16s717. Além disso, ele já é detentor do recorde da pista de Maringá, com a marca de 16s507, sendo este o 3º menor tempo do Brasil!

O grande diferencial de Sidnei Junior é sua busca incessante pelo aprendizado e o querer sempre hoje ser melhor que ontem. "Estou me capacitando dia a dia e a cada prova procuro melhorar, mesmo eu ganhando eu quero fazer mais, buscando sanar as falhas. Treinamento, dedicação e foco, acredito ser outro ponto que faz com que os resultados sejam os melhores. Eu quero tirar o máximo dos cavalos, não vejo pai e mãe e sim o indivíduo," ressalta Sidnei.

Todos esses resultados impressionantes em pista, são com certeza reflexo do talento de Sidnei Junior, mas tem algo a mais, o dom em trabalhar com cavalos, algo que não é explicado e sim vivenciado. "Acredito que posso passar para as pessoas a minhas técnicas e maneira que trabalho, mas eu acredito muito em Deus e assim é uma benção que ele me deu, de ter a sensibilidade de ver um cavalo e só da forma dele andar, a pessoa fazer um círculo consigo ver várias coisas naquele movimento. As pessoas conseguem se capacitar nisso, mas tem coisas que não é de mim. Acredito muito que tem coisas que Deus passou para mim, é um dom!", fala Sidnei.

Diante da ascensão continua da modalidade de Três Tambores, com cada vez mais criadores investindo na importação das melhores genéticas do mundo e oferecem premiações excelentes nas provas, Sidnei credita na popularização do esporte como um fator importante para que tais resultados tenham sido obtidos. "Minha opinião sobre a evolução foi que virou um esporte conhecido, antes era mais rodeio e não tinha tanta competição igual tem hoje e com isso os proprietários foram pegando gosto de cada vez mais investir no esporte e em genética".

Sabendo exatamente disso que Sidnei pretende continuar evoluindo junto com o esporte. Atualmente, ele atua como treinador no Haras ZD, que fica localizado em Marília/SP. Lá o seu foco total é em obter melhores resultados com uma equipe excelente do criatório e que é bem unida. "Eu planejo para meu futuro continuar treinando sempre os animais com o objetivo de mudanças e aprimorando, cada um dentro do seu limite, e alcançar vitórias e constâncias", finaliza.

Imagem retirada de http://www.violashow.com.br/noticias/esportes/2018/01/19/o-fenomeno-dos-tres-tambores-no-brasil.html#.WmhqOnxG3IU, com

Jornal do Rodeio

Acesse também:

Facebook Orkut Twitter