Acesse também:

Facebook Twitter Orkut

Hoje é 20 de Junho de 2019 - 05:16h

Cadernos
Rodeios
voltar

Você conhece a história dos famosos Bretes Amarelos da NFR?

Em 2018, a identidade visual mais conhecida do rodeio mundial completou 30 anos.

Imagem retirada de http://www.violashow.com.br/noticias/esportes/2019/01/21/voce-conhece-a-historia-dos-famosos-bretes-amarelos-da-nfr.html#.XEb1Xmmnfcc

Imagem retirada de http://www.violashow.com.br/noticias/esportes/2019/01/21/voce-conhece-a-historia-dos-famosos-bretes-amarelos-da-nfr.html#.XEb1Xmmnfcc

Entre tantos símbolos icônicos da Wrangler National Finals Rodeo, os bretes amarelos possivelmente sejam os mais marcantes. Possivelmente devido a sua visibilidade em praticamente todas as imagens que envolvem a arena, seja no lado das montarias ou no lado oposto, onde ocorrem as provas cronometradas.

Em 2018, a identidade visual mais conhecida do rodeio mundial completou 30 anos. A primeira vez que a Professional Rodeo Cowboys Association utilizou os bretes na cor amarela foi durante a NFR de 1988. Inspirando outros diversos eventos, inclusive no Brasil, que na década de 90 e meados de 2000 tinha uma grande quantidade de bretes amarelos.

Nos primeiros dez anos (1959-1969), os bretes utilizados pela PRCA em seu principal evento tinham a base de ferro e as porteiras de madeira, sendo totalmente substituídos a partir de 1970. Nos anos seguintes, os bretes passaram a variar de cores a cada edição. Foram utilizadas a cores branca, vermelha e em alguns anos, a combinação das duas.

A cor vermelha passou a predominar e se tornar tradicional no final dos anos 70, ainda sem a presença de patrocinadores nos bretes. Nos anos 80, o evento ganhou o patrocínio máster dos cigarros Winston, que foi um dos principais investidores do rodeio norte-americano naquela década. E como a marca tinha o vermelho e o branco em suas cores principais, os bretes todos vermelhos e escritos de branco foram utilizados durante muitos anos.

Esta parceria com a Winston durou até 1986, quando a NFR já era realizada em Las Vegas. A partir de 1987, a Wrangler Jeans, que já patrocinava a PRCA desde a década de 40, assumiu os direitos como patrocinador oficial da Final Mundial. Naquele ano, a NFR alterou significativamente sua identidade visual, utilizando bretes totalmente azuis com escritas em amarelo, fazendo uma clara referência à marca do novo patrocinador.

Porém, já no ano seguinte, a NFR mudou novamente as cores dos seus bretes. Fazendo referência ao amarelo presente no logotipo da Wrangler, apresentou os bretes que se tornaram ícones e são usados até hoje. Em 2001, aliás, a marca assumiu os direitos de nome (naming rights) do evento, que passou a se chamar oficialmente Wrangler National Finals Rodeo.

Desde a época da Winston, até hoje com a Wrangler, os bretes tem apenas a marca de um único patrocinador nos portões, além das marcas da própria PRCA. Seja pelas cores amarelas, ou pela predominância da sua marca nos bretes, é impossível não relacionar a Wrangler ao evento. E é inegável não admitir que a tradição dos 'yellows chutes' valorizam a cada ano mais ambas as marcas.

Fonte: Viola Show, com informações do Cavalus

Você conhece a história dos famosos Bretes Amarelos da NFR?

22/01/2019

Entre tantos símbolos icônicos da Wrangler National Finals Rodeo, os bretes amarelos possivelmente sejam os mais marcantes. Possivelmente devido a sua visibilidade em praticamente todas as imagens que envolvem a arena, seja no lado das montarias ou no lado oposto, onde ocorrem as provas cronometradas.

Em 2018, a identidade visual mais conhecida do rodeio mundial completou 30 anos. A primeira vez que a Professional Rodeo Cowboys Association utilizou os bretes na cor amarela foi durante a NFR de 1988. Inspirando outros diversos eventos, inclusive no Brasil, que na década de 90 e meados de 2000 tinha uma grande quantidade de bretes amarelos.

Nos primeiros dez anos (1959-1969), os bretes utilizados pela PRCA em seu principal evento tinham a base de ferro e as porteiras de madeira, sendo totalmente substituídos a partir de 1970. Nos anos seguintes, os bretes passaram a variar de cores a cada edição. Foram utilizadas a cores branca, vermelha e em alguns anos, a combinação das duas.

A cor vermelha passou a predominar e se tornar tradicional no final dos anos 70, ainda sem a presença de patrocinadores nos bretes. Nos anos 80, o evento ganhou o patrocínio máster dos cigarros Winston, que foi um dos principais investidores do rodeio norte-americano naquela década. E como a marca tinha o vermelho e o branco em suas cores principais, os bretes todos vermelhos e escritos de branco foram utilizados durante muitos anos.

Esta parceria com a Winston durou até 1986, quando a NFR já era realizada em Las Vegas. A partir de 1987, a Wrangler Jeans, que já patrocinava a PRCA desde a década de 40, assumiu os direitos como patrocinador oficial da Final Mundial. Naquele ano, a NFR alterou significativamente sua identidade visual, utilizando bretes totalmente azuis com escritas em amarelo, fazendo uma clara referência à marca do novo patrocinador.

Porém, já no ano seguinte, a NFR mudou novamente as cores dos seus bretes. Fazendo referência ao amarelo presente no logotipo da Wrangler, apresentou os bretes que se tornaram ícones e são usados até hoje. Em 2001, aliás, a marca assumiu os direitos de nome (naming rights) do evento, que passou a se chamar oficialmente Wrangler National Finals Rodeo.

Desde a época da Winston, até hoje com a Wrangler, os bretes tem apenas a marca de um único patrocinador nos portões, além das marcas da própria PRCA. Seja pelas cores amarelas, ou pela predominância da sua marca nos bretes, é impossível não relacionar a Wrangler ao evento. E é inegável não admitir que a tradição dos 'yellows chutes' valorizam a cada ano mais ambas as marcas.

Imagem retirada de http://www.violashow.com.br/noticias/esportes/2019/01/21/voce-conhece-a-historia-dos-famosos-bretes-amarelos-da-nfr.html#.XEb1Xmmnfcc

Jornal do Rodeio

Acesse também:

Facebook Orkut Twitter